quinta-feira, março 17, 2005

FIGURAS DE DANÇA NO CINEMA

No próximo dia 1 de Abril, principia na CULTURGEST o ciclo FIGURAS DE DANÇA NO CINEMA
O programa do ciclo isola em quatro momentos o que pode ser um cruzamento do movimento da película com o movimento do corpo, recordando ou apresentando autores que tomaram a dança, a coreografia e o gesto como estímulos criativos de constituição metafórica de um mundo em movimento.
O programa abre de forma simbólica com uma homenagem a Loïe Fuller (1862–1928), bailarina, coreógrafa e realizadora, cuja aproximação à dança é ainda hoje um dos exemplos mais relevantes do cruzamento entre disciplinas, entre a arte e a ciência, e um exemplo da convivência entre as formas obsoletas do entretenimento popular (fantasmagorias, vaudeville) e a emergência da modernidade e do desenvolvimento tecnológico (e com o fascínio e o desejo de renovação estética que se lhes associam). As Danças Serpentinas, nome pelo qual ficaram conhecidas as criações mais representativas de Fuller, recuperação de um motivo clássico da representação do movimento, eram coreografias simples, assentes em estruturas técnicas por vezes complexas. A bailarina em palco manipulava com a ajuda de grandes varas o corpo de um imenso vestido feito de tecido reflector e brilhante sobre o qual eram projectadas manchas de cor com o recurso a focos de luz, espelhos e diversos truques de palco. A influência de Fuller foi imensa e a forma como interagiu de modo decisivo com as primeiras vanguardas cinematográficas, de resto fascinadas com a representação do movimento, é ainda uma história em aberto, sobretudo se pensarmos na história do cinema abstracto na obra de Oskar Fischinger, Viking Eggeling, entre muitos outros. A leitura dos textos de Germaine Dulac é um exemplo elucidativo do modo como Fuller se aproximava do modelo do que poderia ser o cinema integral – a sua dança tanto era energia, como teatro, fantasmagoria, escrita do movimento com luz, logo cinegrafia, cinema puro (e tal como o cinema segundo Dulac, próximo da música ou da dança). [citado a partir do programa do ciclo]