segunda-feira, março 21, 2005

petróleo e energia

Semana a semana o preço do barril de petróleo é revisto em alta. Ultrapassado o valor dos cinquenta dólares por barril, o petróleo entra naquela linha em que a indústria, à escala global, tem que equacionar a substituição dos combustíveis fósseis por outras fontes energéticas. Na verdade, as alternativas desde há muito são conhecidas. Depois dos primeiros ensaios, começam, embora timidamente, a ser comercializadas soluções alternativas. Exemplos: nos transportes, os carros eléctricos, de utilização preferencial nas cidades. No domínio das energias renováveis, a energia solar e a energia eólica, entre outras. Em Portugal, encontram-se alguns desses novos moinhos de vento. Na verdade, não tantos quanto seria desejável. Não tantos quanto acordados com a Europa. É sobretudo triste quando se lêem nos jornais micro-notícias sobre o levantamento da população de uma pequena aldeia portuguesa, reunida para se manifestar contra a construção de moinhos de vento. É ainda mais triste quando se vêem alguns supostos defensores do ambiente a reclamarem contra os moinhos de vento por causa de uma colónia de andorinhas. E é uma completa tristeza verificar o tratamento demagógico que a comunicação social dedica a estes temas e à putativa revolta do povo.