domingo, maio 28, 2006

Fragmentos de Timor

Diariamente chegam-me pequenas notícias de Timor. São fragmentos de afectos que fazem doer mais as imagens que passam nos canais de televisão. Dos amigos que lá ficaram e cuja sorte me aperta o coração.
No resto do "mundo ocidental" as notícias a este respeito são praticamente inexistentes. Timor Leste já teve os seus minutos de fama, por alturas de 1999. Agora, é para esquecer.
Entre os fragmentos noticiosos, escutam-se e lêem-se enormidades: desde o primeiro-ministro australiano a dizer que os timorenses não sabem governar, até ao Miguel Sousa Tavares a dizer que deveriam ter ficado sob administração portuguesa. Não resta muito até aparecerem os que vão defender que Timor deva ser reocupado pela Indonésia.
Mas afinal qual é o problema profundo? Mais de 70% de desempregados. Qual é o povo que aguentaria mais de 5 anos sem ter emprego nem subsídio de desemprego?!
A isto há que acrescentar a raridade de quadros com formação superior e as diferenças etno-linguísticas. A isto há que acrescentar uma sociedade em que os estrangeiros ("malais") são os únicos que têm acesso aos super-mercados e aos hotéis e se comportam regra geral com uma enorme falta de respeito. A isto há que acrescentar os poderes tradicionais que se jogam na sombra dos tempos. E finalmente o petróleo...

1 Comments:

Blogger Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú said...

Talvez a ideia de Miguel Sousa Tavares até faça algum sentido...

3:09 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home